Saiba como garantir segurança nas instalações elétricas dos sistemas fotovoltaicos

Em nosso artigo anterior citamos a importância de um projeto de instalação elétrica e alguns benefícios que esse relevante documento traz para o dia a dia dos responsáveis pela manutenção das instalações elétricas.

Dando continuidade nesse assunto, atualmente, uma premissa básica nos projetos de instalações elétricas é a previsão futura de geração de energia elétrica distribuída, ou no local de consumo, uma vez que esse tipo de geração de energia já é uma realidade das instalações elétricas brasileiras. [confira outros detalhes sobre geração de energia distribuída neste link: [http://bit.ly/artigo-energia-alternativa].

A nova realidade da geração de energia elétrica brasileira

Energia Sistema Fotovoltaico

Segundo dados da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), o ano de 2019 foi marcado pelo aumento de mais de 100% de geração distribuída no Brasil, alcançando o patamar de 71 mil novas conexões até 31/10/19, deste total, 99,89% foram instalações de sistemas fotovoltaicos.

O ano de 2019 registra o sétimo ano consecutivo de crescimento da geração distribuída, desde a promulgação da Resolução Normativa 482/2012 da ANEEL.

Quais são as fontes de energia elétrica no Brasil?

As fontes mais comuns de geração de energia elétrica utilizadas no Brasil são:

  • Suprimento através da rede pública de energia elétrica (ligação à rede da concessionária),
  • Grupos geradores a diesel ou gás natural
  • Geradores fotovoltaicos
  • Geradores eólicos.

O que diz a Norma ABNT BR 5410 sobre as fontes de energia elétrica?

A norma brasileira para instalações elétricas de baixa tensão ABNT NBR 5410, classifica as fontes de alimentação de uma instalação elétrica, segundo a sua função, dividindo-as em três tipos distintos: fontes normais, de reserva e de segurança, sendo que esta última é mais conhecida como de “emergência” (em uma tradução livre da norma americana) não existe na norma brasileira de instalações elétricas.

Sendo assim, segundo a NBR 5410, temos as seguintes determinações sobre tipos de fontes de energia:

  • A alimentação ou fonte normal é a alimentação/ fonte responsável pelo fornecimento regular de energia elétrica.
  • A alimentação ou fonte de reserva é a alimentação/ fonte que substitui ou complementa a fonte normal, com objetivo de garantir e proteger as atividades comerciais e industriais.
  • A alimentação ou fonte de segurança é a alimentação/fonte destinada a assegurar o fornecimento de energia elétrica a equipamentos essenciais para os serviços de segurança.

Como deve ser considerada a previsão de energia futura em um projeto elétrico?

Durante o projeto é necessário analisar que tipo de natureza de fontes são viáveis e qual irá assumir as funções estabelecidas na norma, isto deve ser feito durante o projeto conceitual.

Definidas as fontes de sua utilização, na fase do projeto básico, é necessário estudar qual a potência disponível para cada fonte e como elas serão integradas.

Alguns exemplos práticos:

1. Entender como será a distribuição, se será prédio a prédio ou se serão agrupadas na instalação de alimentação, que normalmente é de média tensão.

2. Como os módulos fotovoltaicos têm um peso relevante, é importante considerar a possibilidade do carregamento destes módulos no telhado, mesmo que não sejam instalados de imediato, contribuindo assim para um projeto elétrico mais completo, com a geração de distribuição energia futura.

Além disto, definir a forma de supervisão e controle destas fontes, neste caso um aspecto muito importante, é considerar a evolução do sistema tarifário, a utilização do mercado livre e a forma de armazenagem do excedente de geração.

Nesta análise deve ser considerada a tendência de evolução do mercado nacional de energia elétrica e da evolução da tecnologia dos sistemas de geração. Como resultado desta fase do projeto, é a entrega de um diagrama unifilar, onde é apresentada a interligação das fontes.

Projeto Executivo: primordial para definir o detalhamento da geração de energia

Dentre os detalhes dos itens incluídos do projeto executivo, são considerados os painéis de integração, o projeto de aterramento geral do empreendimento, as fontes e as unidades consumidoras, os esquemas de aterramento mostrando as interligações dos neutros com os eletrodos de aterramento.

Importante: A Norma NBR 16690 de Instalações elétricas de Arranjos Fotovoltaicos – apresenta os esquemas de aterramento possíveis e as formas de implementá-los para os casos dos geradores fotovoltaicos.

Consulte somente quem tem amplo conhecimento no assunto

Um projeto bem feito tem um custo que se paga a curto prazo e torna a instalação apta a receber as evoluções da tecnologia, além de reduzir os custos de implantação.

A Mi Omega Engenharia é uma empresa conectada com as novas tendências e sempre considera e tem como premissa considerar em seus projetos a geração de energia distribuída.

Leave a Comment